domingo, 17 de junho de 2018

não se impressione

quando me ouvir chamar
as estrelas pelo nome

um teto todo nosso

eu queria celebrar. se passaram dez anos, eu queria dizer "parabéns pra nós" e levantar meu copo. ele ainda estaria ali.

não era uma cabana pelo caminho. eu era eu mesma, sabia onde estava e estava em casa. 

na partida ele não chorou. me disse que as palavras eram bonitas demais e não as merecia e eu só senti tristeza na sua voz: 

- então, vá! pode dormir com ele se é o que quer. 

eu fui. intimamente me sentindo um cão envergonhado, porém bonita e perfumada. de vestido vermelho e soltinho. a noite fresca arrepiou minha pele, sem meias nem combinação. eu tinha pele à mostra quando nos encontramos e ele tinha duas amigas. 

mulheres e comida, mulheres com fome e eu só de vestidinho resolvendo problema de comida. 

as minhas pernas estavam quase congelando quando chegaram as minhas amigas, alguém me emprestou um lenço, mas meu tesão já ia abaixo de zero quando ele se foi, feito um amigo gay, colocar as meninas pra deitar.

tomei mais duas cervejas ainda, na volta pra casa ainda parei e comi um temaki. péssima escolha, comida gelada da porra. 

em casa, ele desperta brevemente: 

- gata... e aí?

- ele não me quis...


domingo, 18 de fevereiro de 2018

"tudo o que nasce

É digno de perecer"

sexta-feira, 28 de julho de 2017

sabor das lembranças

ainda estou firmando os passos. espero encontrar algum consolo, mas acontece que eu acabei de cair e de que maneira não sentir um gosto de sangue e chão logo cedo?

terça-feira, 23 de maio de 2017

idade de cristo

era aqui que a mãe estava quando eu nasci
eu vivi para morrer jovem
no peso desses anos, suporto minha própria cruz

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

eu já não sei se dói te ver

os dedos, os dias ou os dois

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

acho que se parece comigo
esmalte na cor da flor 
estampada no meu vestido